2 de agosto de 2017 by integrasul

22% das pequenas empresas atingidas por ransomware têm de fechar as portas

O ransomware tem provado cada vez mais ser o “golpe da vez” no mundo tecnológico, e por uma razão simples: ele é efetivo. Tão efetivo que uma parte considerável das empresas atingidas acaba forçada a fechar as portas.
A constatação surgiu em um estudo realizado pela Malwarebytes junto a 1.054 empresas na América do Norte, França, Reino Unido, Alemanha, Austrália e Singapura. O levantamento mostra que os mais prejudicados são os donos de pequenas e médias empresas, já que 22% delas, quando atingidas, têm de encerrar as atividades imediatamente.
“Companhias de todos os tamanhos estão cada vez mais em risco devido a ataques de ransomware”, ressaltou o CEO da empresa de segurança, Marcin Kleczynski. “Entretanto, os impactos de um único ataque em pequenas empresas são muito diferentes dos impactos de um único ataque para grandes companhias.”
Para aproximadamente um sexto das empresas atingidas por ataques do tipo no ano passado, a infeção causou prejuízo de 25 horas ou mais, sendo que em alguns casos os sistemas ficaram desativados por mais de 100 horas. Além da parcela de pequenos e médios empresários que efetivamente perderam seus negócios, 15% deles sofreram impactos negativos em termos de receita.
Embora a maioria das empresas (75%) tenha mostrado que trata o ransomware como prioridade, cerca de metade delas não confia em suas habilidades para combater a questão.
Além disso, 72% dos entrevistados se declararam contrários ao pagamento de resgates. Entre os demais, a maioria acredita que a troca só deve ser considerada quando o golpe envolve arquivos sensíveis. Mas o estudo mostra que um terço das empresas que escolheram não pagar acabou perdendo o conteúdo sequestrado.

Fonte: Olhar Digital

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *