Novo ciberataque atinge empresas de diversos países

LONDRES — Um vírus ransomware voltou a circular nas redes nesta terça-feira para afetar os sistemas informáticos de toda a Europa. A iniciativa hacker causa problemas principalmente na Ucrânia, na Rússia, na Inglaterra e na Índia, confirmou uma agência de tecnologia da informação do governo da Suíça. O ataque teria começado nas web russa e ucraniana e se espalhado pelo continente com alvo em grandes grupos mundiais.
A principal produtora de petróleo da Rússia, Rosneft, informou que um ataque cibernético em larga escala atingiu seus servidores nesta terça-feira, com impacto nos sistemas informáticos de alguns bancos e do principal aeroporto da vizinha Ucrânia.
Os sistemas de monitoramento de radiação na zona de exclusão em torno da central nuclear de Chernobyl foram afetados nesta terça-feira por um ciberataque, informou um porta-voz da agência ucraniana responsável por monitorar a área.
Os sistemas de detecção tiveram ser desligados como resultado do ataque, mas as medições de radiação continuam a ser realizadas com equipamentos portáteis, acrescentou a fonte.
O transportador marítimo dinamarquês Maersk, o gigante publicitário britânico WPP e a companhia francesa Saint-Gobain confirmaram terem sido hackeados. Os grupos acrescentam que seus sistemas de informática foram protegidos a tempo de evitar perda de dados.
O laboratório norte-americano Merck também confirmou ter sido afetado pelo ataque:
“Confirmamos que nossa rede de computadores se viu comprometida hoje como parte de um ataque cibernético mundial. Outras organizações tambem foram afetadas”, disse a empresa em um comunicado no Twitter. “Estamos investigando o caso e divulgaremos informações adicionais assim que possível”, informou o laboratório.
Uma empresa da Noruega, que não foi identificada, também está sob ataque, de acordo com a autoridade de segurança nacional.
“Houve indícios de que a Petya está em circulação novamente, explorando a vulnerabilidade SMB (Server Message Block)”, relatou o Centro Suíço de Relatórios e Análises de Informações (Melani) por e-mail.
O centro informou que não tinha informações sobre empresas suíças afetadas, mas disse que estava acompanhando a situação. O vírus Petya foi responsabilizado pela interrupção de sistemas em 2016.
Em maio, um ataque atingiu pelo menos 200 mil vítimas em 150 países ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *